Mulher DoenteA Sífilis, conhecida também como cancro duro, avariose, lues, entre outras denominações, é uma doença contagiosa e infecciosa, causada pela bactéria Treponema Pallidum, adquirida pelo contato sexual com um parceiro que já esteja infectado. Há também, a Sífilis Congênita, ou seja, transmitida da mãe para o feto, através da placenta. A bactéria entra no corpo através das aberturas de órgãos, como a vagina, o reto, a boca, cortes e machucados. Não é possível contrair a doença através do contato com acentos, maçanetas, roupas, talheres, água etc.

É uma doença caracterizada por mucosas e lesões nas regiões próximas aos genitais, nos próprios genitais, ou até mesmo em qualquer outro lugar do corpo. É importante que as mulheres fiquem atentas, pois podem não perceber a presença de lesões no interior da vagina. Caso não haja tratamento, há grandes riscos de ocorrer complicações sistêmicas no futuro, como paralisia, danos cerebrais, cegueira, entre outros.

Doenças que causam feridas genitais, assim como a Sífilis, facilitam o contágio de vírus e infecções, como o HIV, pois a proteção é afetada.

Estágios da Sífilis

Muitos se enganam quando as manifestações na pele somem depois de um determinado tempo, mas é preciso estar atento, pois a Sífilis possui três estágios:

  • 1º Estágio: Após 15 dias do contato direito com a bactéria, há a presença de ínguas* e feridas. De três a seis semanas depois, essas feridas somem, e não deixam cicatrizes. É nesse momento que muitos acham que não era nada grave...mas aí está o problema!
  • 2º Estágio: Caso não haja tratamento durante esse período, depois de seis a oito semanas, a doença se manifesta novamente, porém de forma mais complexa, afetando a pele e os órgãos internos.
  • 3º Estágio: Caracterizado pela evolução crônica da doença, é uma fase que atinge mais agressivamente os órgãos, podendo ser destrutiva.

Tratamento GinecológicoTratamento da Sífilis

A Sífilis tem cura, e o tratamento é mais fácil quando a doença ainda está nos primeiros estágios. O medicamento mais usado, é a Penicilina, um antibiótico natural, que pode ser medicado em dosagens ou através de uma injeção intramuscular. Para quem tem a doença há mais de um ano, na maior parte das vezes, é necessário dosagens adicionais.

O tratamento com a Penicilina mata a bactéria, previne de possíveis problemas, mas não ajuda a reparar danos que já foram causados. Mas é importante lembrar, que mesmo obtendo a cura, ninguém fica isento de contrair a doença novamente.

Enquanto estiver em tratamento, o paciente não poderá manter relações sexuais, para que seu parceiro não seja infectado.

Prevenção da Sífilis

Diferente de outras doenças, nem sempre a Sífilis pode ser prevenida através de preservativos, pois as feridas podem estar em locais que não recebem nenhuma proteção. Mas, mesmo assim, é totalmente necessário o uso de preservativos, pois a lesão pode estar presente também, nas áreas genitais.

*ínguas: linfonodo ou gânglio linfático, que faz parte do sistema de defesa do organismo.